Ensaio sobre a Cegueira – Quando o primitivo do ser humano é despertado.

ensaio-sobre-a-cegueira1

Ficha Técnica do filme:

Título original: Blindness
Lançamento: 2008
Direção: Fernando Meirelles
Elenco: Juliane Moore, Mark Ruffalo, Alice Braga, Gael Garcia Bernal, Dany Glover, Yusuke Iseva, entre outros.
Autor do livro: José Saramago (1995)
Roteiro: Don McKellar
Diretor de fotografia: Cesar Charlone
Produção: Rhombus Media, Bee Vine Pictures.

Ensaio sobre a Cegueira se trata de um filme baseado na obra do escritor português José Saramago de mesmo nome. Tanto o filme quanto a Obra se tratam de um assunto bem delicado, pondo a tona os sentimentos mais primitivos do ser humano, e tudo isso gerado por uma epidemia de cegueira, cujo no filme é denominado como “cegueira branca” isso por que as pessoas que estão cegas, alegam que uma “luz branca” exessiva é que impedem delas enxergarem.

O filme que Fernando Meirelles apresenta ao público em sua versão do best-seller de José Saramago, “Ensaio Sobre a Cegueira”, relata a história de uma que entra em colapso quando ocorre um cadeia sucessiva de cegueira, que se alastra rapidamente como uma epidemia altamente contagiosa que não possui uma explicação, nem de onde vem, porque contagia ou que tipo de enfermidade se trata. Diante disso, o governo decide colocar todos os infectados em quarentena em um antigo hospício, mais parecido com um campo de concentração, sendo os cegos abandonados à própria sorte. Além disso, havia uma limitação da matéria necessária para a subsistência ( alimento) e as forças armadas ficavam vigiando o perímetro para que ninguém pudesse sair.

A força da epidemia não diminui com as atitudes tomadas pelo governo e depressa o mundo se torna cego, onde apenas uma mulher, misteriosa e secretamente manterá a sua visão, enfrentando todos os horrores que serão causados, presenciando visualmente todos os sentimentos que se desenrolam na obra: poder, obediência, ganância, carinho, desejo, vergonha; dominadores, dominados, subjugadores e subjugados.

Nesta quarentena esses sentimentos se irão desenvolver sob diversas formas: lutas entre grupos pela pouca comida disponibilizada, compaixão pelos doentes e os mais necessitados, como idosos ou crianças, embaraço por atitudes que antes nunca seriam cometidas, atos de violência e abuso sexual, mortes,…

Ao conseguir finalmente sair (devido a um fogo posto na camarata de uma grupo dominante, que instalara ainda mais o desespero controlando a comida a troco de todos os bens dos restantes e serviços sexuais) do antigo hospício onde o governo os pusera em quarentena, a mulher que vê depara-se com a ausência de guarda: “a cidade estava toda infectada”; cadáveres, lixo, detritos, todo o tipo de sujidade e imundice se instalara pela cidade. Os cegos passaram a seguir os seus instintos animais, e sobreviviam como nômades, instalando-se em lojas ou casas desconhecidas.

ensaio-sobre-a-cegueira

O lançamento do filme teve tantas repercurções que houve uma certa polêmica com as associações de proteção aos “cegos”, que alegaram que a pessoa que não enxerga não se torna um animal como é mostrado na história.

Desnecessária toda essa confusão a respeito do filme, porque o que acontece é que esse não é o foco principal da trama apresentada, mas sim mostrar a crueldade que o ser humano é capaz de infligir aos outros quando seus limites são testados.

Uma Visão Mais Amplificada do filme

Esse filme, como já disse acima, mostra a crueldade do ser humano quando se encontra em uma posição em uma situação desconfortável ao longo prazo inesperada, e não a cegueira em si.

Em muitas partes do filme me deu muita pena da esposa do médico (interpretada pela atriz Juliane Moore), pois quando todos ali queriam ver novamente, e ela a única que misteriosamente não havia sido afetada, eram cenas que na situação dela, fico pensando se a própria não desejou alguma hora querer estar cega, como a cenas de imundice, corpos mortos em diversas partes, largados, cachorros comendo o corpo de uma pessoa, cenas de abuso sexual, até a própria traição do marido (que por tudo que ela sofreu, essa seria o mínimo dos acontecimentos), assim chegando a fazer atos extremos e inconcebíveis, como roubar, matar para que não se prejudicasse e nem aos demais, enterrar pessoas em covas improvisadas, e se passar por cega para poder acompanhar o exílio do marido…

Uma das cenas que eu achei mais interessantes do filme, foi quando ela entra em uma igreja e vê todos os santos vendados, como se fosse um protesto contra a religião sobre a epidemia de cegueira imposta ao mundo, ou quando ela mata o cego interpretado por  Gael Garcia Bernal, que primeiro lidera um motim e se proclama rei na instituição, estoca a comida do lugar e começa a roubar todos os cegos da instituição, e quando não há mais nada para roubar, começa a cometer abuso sexual com as mulheres do local em troca de comida.

O filme trata também de assuntos como orgulho, compaixão com seus senmelhantes, principalmete no caso de crianças e idosos, questão de valores do casamento e de parceria, amizade e companherismo que em casos que em situações limites, muitos deles tendem a ser ignorados em troca das necessidades mais básicas (como comer, dormir e fazer nescessidades), mas também em muitos pontos do filme tem de a ser valorizados para que se consigam sobreviver ao terror e tortura que passaram…

Assim ele termina na ordem, com o primeiro cara cego voltando a ver. Dando a entender que assim todos voltariam a enchergar cada um em sua ordem de contágio, fazendo a protagonista pensar e repensar em tudo que passou esses tortuosos dias.

O filme é bom para quem gosta de drama, e mesmo sendo uma ficção, tendo um gosto real da realidade do governo, como ele reagiria em casos como esse, e como o ser humano iria reagir nessa situação de pressão. Por isso para quem gosta do gênero eu recomendo.

Trailer legendado do filme:

Fontes: Ccine 10, Ajuda em Bacharelado em Direito, Wikipédia, Youtube

Anúncios

2 comentários sobre “Ensaio sobre a Cegueira – Quando o primitivo do ser humano é despertado.

  1. descubramosnos disse:

    Achei esse filme fascinante. Em um dia meio sem sono e atrasada pra dormir me deparei com ele passando na TV, no começo não entendi muito bem e passei o filme inteiro tentando entender o porquê da cegueira branca, porém fiquei chocada com os sentimentos envolvidos a cada cena, principalmente por se tratar de uma mulher a protagonista.

    • Micky Nekoi disse:

      Sim o filme é incrível. Ainda mais pelo conceito que vem de um livro fantástico. Mas isto mostra como a sociedade sobreviveria em um caos de histeria coletiva de cegueira como este. Obrigada por comentar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s